EXCELÊNCIA EM REABILITAÇÃO VISUAL COM LENTES DE CONTATO ESPECIAIS

Pesquisar este blog

domingo, 29 de agosto de 2010

Lente de contato e Olho Seco

A síndrome do olho seco é um problema que afeta a muitas pessoas em graus de severidade branda a severo, os casos mais leves geralmente o paciente é praticamente assintomático. Já nos casos mais severos o paciente sente ardência nos olhos, acaba muitas vezes coçando os olhos com vigor para aliviar o incômodo. O olho seco significa que o paciente possui uma quantidade de lágrima nos olhos menor do que o necessário e a causa pode ser deficiência da na produção de lágrima ou causa evaporativa. O tempo seco e com baixíssima umidade registrados nestes últimos 10 dias na grande São Paulo devem ter sido catastróficos para estes pacientes pois os sintomas agravam-se com a umidade relativa do ar muito baixa e com a concentração de poluição no ar.

Muitos pacientes submetidos a cirurgia refrativa apresentam o quadro de insuficiência lacrimal, alguns pacientes ainda que assintomáticos podem ser diagnosticados com instabilidade lacrimal com os exames de tempo de ruptura do filme lacrimal (T-BUT), teste de Schirmer com ou sem anestésico (nós preferimos com anestésico de acordo com o protocolo do Will's Eyes Hospital) e também o teste  com Rosa Bengala ou Lissamina Verde para corar células mortas e filamentos de muco no filme lacrimal (nós preferimos o teste com Lissamina Verde pelo fato de não causar ardência no paciente e que apresenta resultados precisos). É normal pacientes com agravamento da síndrome de olho seco pós-cirurgia refrativa conformar-se com a situação relatando que a independência de óculos ou lentes de contato ainda é melhor mesmo tendo que depender do uso de colírios em forma de lágrimas artificiais.

Os pacientes que apresentam síndrome de olho seco frequentemente coçam mais os olhos e tem um diagnóstico de alergia ocular, inclusive utilizando medicação anti-alérgica em forma de colírio enquanto na verdade o diagnóstico diferencial aponta para deficiência do filme lacrimal e olho seco. Pudemos observar nestas últimas décadas que muitos pacientes com ceratocone tem o hábito de coçar sofreguidamente sendo esta provavelmente a causa da perda de parte da resistência biomecânica corneana o que irá provocar o surgimento do ceratocone.

Os pacientes operados por Lasik que anos depois desenvolveram um "ceratocone" não primário (ectasia secundária), também chamada cientificamente de ceratoectasia iatrogênica, se tornaram portadores de ceratocone provavelmente pelo fato de durante a cirurgia quando é feito o corte do flap corneano várias fibras de colágeno corneano são cortadas, dmiminuindo significamente a resistência biomecânica pois estas fibras não voltam a ser ligadas e também pelo fato de com a ablação pelo laser uma quantidade significativa de tecido estromal é retirado para obter a correção do grau na cirurgia refrativa. Aliado a este fator, a dminuição da produção de lágrima ou a instabilidade da lágrima poderá gerar a necessidade do paciente de coçar os olhos como nos portadores de olho seco, o que sabe-se é um dos motivos sempre mencionados como importante em todos os estudos relacionados a origem do ceratocone.

Uso de Lentes de Contato no Olho Seco

Para os usuários de lentes de contato esse é um problema que pode impossibilitar o uso de lentes gelatinosas ou descartáveis pelo fato destas terem um efeito de absorver a lágrima do paciente e agravar os sintomas de olho seco. Neste caso a adaptação de lentes rígidas gás permeáveis (RGPs) ou simplesmente gás permeáveis é bem indicado, desde que a adaptação seja feita corretamente e com lentes de boa qualidade para assegurar ao paciente conforto, segurança e a melhor acuidade visual possível de se obter, geralmente melhor que qualquer lente gelatinosa. As lentes de contato RGPs de boa qualidade e com desenho apropriado permitem que a lágrima (ainda que em menor quantidade) circule livremente pela córnea, sendo mais saudável especialmente para a córnea e para a livre passagem da pálpebra superior ao piscar. Devido ao fato destas lentes não absorverem a lágrima os olhos ficam umidificados com a pouca lágrima que o paciente apresenta no caso do olho seco ou com o uso de colírio lubrificante em forma de lágrimas artificiais.

Embora as lentes RGPs sejam melhor indicadas para portadores de síndrome de olho seco é importante que esse detalhe seja observado no exame sob o biomicroscópio. A falha em não observar o problema e indicar um colírio lubrificante em forma de lágrima artificial pode levar o paciente a agravar os sintomas de coceira e desconforto com as lentes, especialmente em condições atmosféricas impróprias como umidade relativa do ar muito baixa (tempo seco) e em ambientes com ar condicionado, vento ou ambientes com calefação. Isso agrava sobremaneira o estado de saúde geral da córnea, podendo levar o paciente a ter desde crises de hiperemia conjuntival (olho vermelho) como a lesões corneanas que podem ser superficiais ou mesmo erosão de córnea com rompimento da membrana de Bowman atingindo o estroma, que em alguns casos provoca uma úlcera de córnea.

O tratamento nestes casos envolve a suspenção imediata do uso de lente de contato, tratamento com gel reepitelizador e cicatrizador,  lubrificantes e se necessário o uso de antibióticos profiláticos nos casos mais severos. Naturalmente que os casos mais graves são mais raros pois geralmente o paciente irá fazer revisão oftalmológica, geralmente ele é levado a acreditar que o problema encontra-se na sua lente, o que pode ocorrer também se a lente não for bem adaptada e se não for de boa qualidade, mas neste caso estamos falando de alteraçãoes na fisiologia da lágrima e de uma condição que afeta em torno de até 40% da população.

Uma correta avaliação oftalmológica e do padrão de adaptação da lente RGP assegura a saúde do paciente e pode mantê-lo saudável usando suas lentes de contato.  Em alguns casos pequenas recomendações devem ser feitas aos pacientes lembrando-os da necessidade de piscar, hoje em dia com o uso cada vez maior de computadores é normal que mais pacientes tenham sintomas de olho seco quando se expõem por horas ao monitor e "esquecem de piscar". É importante observar o paciente para investigar blefarite, em alguns casos simplesmente orientar o paciente a lavar os olhos com sabonete líquido neutro com as pálpebras fechadas, esfregando por sobre as pálpebras e cílios em movimentos circulares passageando estas áreas o ajudará a ter uma melhor lubrificação e diminuição dos sintomas, as vezes também é interessante lavar os olhos uma vez por semana com soro fisiológico recém aberto, enaguando bem os olhos abundantemente e piscando algumas vezes para remover detritos e filamentos de mucina que possam estar presentes na lágrima e que podem irritar os olhos. 

O uso de ar condicionado ou calefação que provocam uma súbita diminuição na umidade do ar também é um fator agravante e algumas recomendações importantes devem ser feitas para o paciente, como o uso de umidificadore de ambiente ou a simples colocação de um balde ou bacia com água (pode ser uma toalha umedecida) no ambiente onde ele se encontra. Pausas no uso do computador e pequenas caminhadas para fortalecer estas pausas a cada 20 - 30 minutos são úteis pois neste momento o paciente irá voltar a piscar normalmente. 

Os casos de olho seco mais graves devem ser clinicamente registrados no consultório médico e o paciente deve ser orientado a utilizar medicação adequada de maneira a obter melhor estabilidade lacrimal. Hoje em dia existem diferentes tipos de colírios lubrificantes a base de lágrimas artificiais mas é importante lembrar que pacientes dependentes destes lubrificantes que pingam estas gotas várias vezes por dia devem ser orientados a utilizar lubrificantes sem preservativos (conservantes) devido a toxicidade presente na maior parte dos lubrificantes. Os pacientes que tem deficiência ou instabilidade lacrimal crônica ou muito grave ao utilizar lubrificantes com conservantes criam um efeito "rebote" no qual quanto mais lubrificam os olhos mais eles parecem necessitar de lubrificação, tornando o tratamento ineficaz.

Alternativas para o tratamento do olho seco

Os colírios lubrificantes em forma de lágrimas artificiais são os mais utilizados recursos para tratamento do oho seco, alguns destes possuem fórmulas mais modernas de forma a hidratar e manter por mais tempo hidratada a superfície ocular. A Allergan por exemplo disponibiliza os lubrificantes Fresh Tears, Optive e o Endura. Estes lubrificantes tem a vantagem de segundo o fabricante de ter em sua formulação o conservante Purite que logo que a gota do produto sai do frasco e entra em contato os olhos se transforma em um dos componentes da lágrima natural. A Allergan também oferece hoje os lubrificantes Refresh Flaconetes e o Optive UD que são apresentados em forma de flaconetes e sem conservantes. Outros lubrificantes com fórmulas semelhantes ao Fresh Tears (Carmelose Sódica 0,5%) são os lubrificantes Lacrifilm e Ecofilm. 

O Fresh Tears Liquigel da Allergan (carboximetil celulose sódica) é uma boa alternativa aos pacientes com sindrome de olho seco pois sua exclusiva formulação gel-líquida assegura maior tempo de retenção na superfície da córnea, o que permite sua utilização também em casos de gravidade moderada de olho seco, aliviando os sintomas associados. 

Entre as alternativas com a utilização de medicamentos em forma de colírios está o uso da ciclosporina que embora os resultados demorem a aparecer (geralmente em torno um mês e meio) podem ser um importante aliado em alguns casos onde o oftalmologista observa que é preciso promover uma maior produção lacrimal. Existem alguns trabalhos publicados sobre a utilização do Restasis para tratamento do olho seco, a ciclosporina apresenta atividade imunossupressora. Em pacientes cuja produção de lágrimas é supostamente suprimida devido à inflamação ocular associada à ceratoconjuntivite seca, acredita-se que a ciclosporina emulsão apresente atividade imunomoduladora parcial. O mecanismo de ação exato não é conhecido. a ciclosporina apresenta atividade imunossupressora. Em pacientes cuja produção de lágrimas é supostamente suprimida devido à inflamação ocular associada à ceratoconjuntivite sicca (olho seco), acredita-se que a ciclosporina emulsão apresente atividade imunomoduladora parcial. O mecanismo de ação exato não é conhecido. Os recentes estudos envolvendo o Restasis mostraram que leva em torno de 4 a 6 semanas para começar a ter efeito e pode ser utilizado concomitantemente com lágrimas artificiais.

Inserção de SmartPlug de Silicone
O implante de plugs lacrimais de silicone hoje é um importante aliado para que alguns pacientes possam manter uma quantidade de lágrima nos olhos, mantendo a fisiologia corneana saudável. É interessante que o paciente pode ser testado com Smart Plugs de silicone que se decompõem em torno de 10 dias, prazo no qual o médico e paciente poderão avaliar a eficácia ou não do tratmento e assim se for o caso realizar a colocação de plugs definitivos (podem ser retirados mas não se decompõem) que irão permanecer nos dutos de escoamento lacrimal interrompendo seu fluxo normal mas criando um menisco lacrimal normal que irá garantir uma maior estabilidade do filme lacrimal corneano e garantido a saúde fisiológica corneana. É dos métodos de fechamento dos dutos de escoamento lacrimal o menos invasivo e indolor, podendo ser realizado no próprio consultório sem a necessidade de ambiente cirúrgico.


Lentes RGPs Esclerais e Semi-Esclerais

O uso de Lentes de contato RGP Esclerais e Semi-Esclerais no tratamento do olho seco severo é uma alternativa bastante viável ao menos no IOSB onde estamos realizando adaptações em pacientes com necesidades de tratamento de olho seco e correção óptica de ametropias regulares (miopia e astigmatismos) e irregulares (ceratocone, degeneração marginal pelúcida, ceratocone globoso, seqüelas de cirurgias refrativas e pós-transplante de córnea). As lentes de contato gás permeáveis esclerais e semi-esclerais caracterizam-se por serem lentes que não tocam ou se apoiam na córnea, elas repousam suavemente na esclera (porção branca dos olhos), e são inseridas nos olhos com uma solução salina sem conservantes que fica em contato direto com a córnea, mantendo a saudável por períodos que vão de 8 a 12 horas de uso contínuo, podendo naturalmente serem retiradas e recolocadas se um maior número de horas de uso for necessário.  A vantagem desta técnica é que durante as horas nas quais o paciente mais precisa manter seus olhos abertos e que sente das dificuldades impostas pelo desconforto da síndrome de olho seco ele poderá obter total conforto e a acuidade visual necessária para a realização de suas tarefas diárias, sejam elas de natureza profissional ou domésticas.

O IOSB inciou de forma pioneira no Brasil a adaptação das lentes SSB fabricadas pela Ultralentes, com uma casuística de mais de 60 pacientes testados e a maioria já utilizando estas lentes por diferentes razões. Alguns destes pacientes possuem a síndrome do olho seco e todos relataram uma melhora significativa com o uso destas lentes, corroborando estudos e publicações sobre o assunto nos EUA e no Reino Unido. É sem dúvida um método de tratamento eficaz para a ceratoconjuntivite sicca, síndrome de Sjörgen, entre outras patologias que causam olho seco severo.





O diagnóstico de síndrome de olho seco, embora seja uma patologia muito comum nos dias atuais, ainda é pouco observada na consulta de rotina de muitos oftalmologistas, talvez não seja dada a devida importância ao caso há menos nos casos mais severos e as possibilidades de tratamento ainda são pouco estudadas exceto por aqueles oftalmologistas que se especializam nessa área e pesquisam muito o assunto assim como estudam as alternativas de tratamento. Uma dica importante é orientar o paciente a observar quais são os sintomas que ele sente ao longo do dia desde que acorda e anotar isso para que ele possa apresentar ao oftalmologista. Isso ajudará ao médico realizar uma melhor análise das queixas e assim ele poderá fazer um exame mais detalhado e minuncioso, utilizando os métodos de teste disponíveis para uma correta avaliação e prescrição do tratamento ideal.

Os pacientes com olho seco severo tem uma qualidade de vida muito ruim e precisam muito que sejam acompanhados e exploradas as diferentes alternativas de tratamento para que possam retomar a sua rotina sem soferem com o problema. Já os pacientes com sintomas leves de olho seco devem ser corretamente informados da condição e orientados de como proceder para neutralizar ou amenizar os sintomas, assim como o tratamento preventivo é eficaz para ele não tenha que futuras complicações com o olho seco que possam comprometer sua saúde ocular.

Luciano Bastos
Diretor & Instrutor Clínico de LC IOSB
Dr. Marcelo Bittencourt
Diretor Clínico e Oftalmologista - Setor de Córnea IOSB
Dra. Juliana Pozza
Oftalmologista - Setor de Córnea IOSB

37 comentários:

Anônimo disse...

o colirio endura possui em sua formula o hidróxido de sódio isto pode trazer alguma complicação em seu uso?

Anônimo disse...

Muito boa sua explanação sobre olho seco. Tenho 49 anos e tenho este problema a um ano ejá peregrinei por vários oftalmologistas pois o olho seco está dificultando minha atividade profissional devido a ardência e estéticamente fica muito feio pela vermelhidão. Estou usando colírio anti alérgico e e Hyabak,mas não vejo melhora. Gostaria muito de usar lentes de contato para monovisão, mas o olho seco me impede. A oclusão do canal lacrimal é indicada neste caso?

Luciano Bastos disse...

Obrigado pela sua mensagem.

A oclusão dos dutos lacrimais nem sempre tem bom resultado, é importante investigar a causa da síndrome do olho seco que pode ser basicamente evaporativa ou por diminuição da secreção lacrimal. O oftalmologista ao investigar a causa provável do olho seco irá assim planejar o tratamento que consiste muitas vezes em experimentar um tratamento e observar sua eficácia ou não, se for o caso de não ter bom resultado outro método pode ser adotado ou uma combinação de métodos de tratamento.

No seu caso específico como você mencionou que gostaria de fazer monovisão para corrigir a presbiopia o ideal seria a adaptação de lentes esclerais, como abordado no artigo acima. Existe lentes esclerais que são indicadas em córneas sem astigmatismos irregulares e que servem para dar maior conforto ao paciente pois elimina a ardência e os olhos deixam de ficar vermelhos. Estas lentes pode ser feitas em qualquer grau. O IOSB tem feito muitas adaptações desse tipo utilizando as lentes esclerais Scleral Bastos SB

Anônimo disse...

Tenho blefarite e problema de ressecamento devido à uma cirurgia refrativa há 2 anos. A blefarite eu já tinha antes da cirurgia, mas piorou depois dela. Estou usando Hyabak. Apesar de não ter conservante, ainda sinto irritação quando uso.Li algo sobre blefarite medicamentosa, provocada principalmente por uso de lubrificantes. Gostaria de saber se isso faz sentido e se lavar os olhos varias vezes ao dia com soro fisiológico gelado ajuda ou pode alterar a composição química do filme lacrimal.

Luciano Bastos disse...

Sobre o hidróxido de sódio.

Alguns lubrificantes em forma de lágrimas artificiais utilizam-no em sua fórmula e na concentração apresentada não trás complicações em seu uso. No entanto sempre utilize colírios somente indicados pelo seu oftalmologista e de acordo com as recomendações do mesmo.

_________________________________

Blefarite

Lavar os olhos e especialmente as pálpebras é indicado na blefarite, e o uso de soro fisiológico é interessante desde que siga-se as normas relativas a conservação do mesmo. O soro fisiológico sem conservantes é estéril, entratnto depois de aberto ele permance estéril por cerca de 24 hs fora da geladeira e por cerca de 7 dias se armzenado na geladeira. Outro fator importante é cuidar para não tocar o bico do frasco o que irá contaminá-lo (deixa de ser estéril).

A adaptação de lentes esclerais associada ao olho seco é muito bem indicada, proporciona um alívio muito grande dos sintomas e especialmente contribui para que a córnea fique saudável. Se o paciente tem algum erro refrativo, mesmo de características de córneas irregulares (ceratocoen, pós-cirurgia, pós-trauma e também patologias que produzem a síndrome do olho seco) pode ser corrigido, tendo as lentes esclerais um efeito de correção visual e de tratamento terapêutico para estas patologias que afetam a superfície olcular.

Espero ter ajudado.

Luciano Bastos
Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos

Anônimo disse...

Tenho ceratocone e olho seco, e uso lentes de contato gelatinosas há 6 anos, mas há 3 meses não estou conseguindo usar as lentes de contato por muito tempo, consigo ficar com elas no máxmo umas 4 horas, após isso meus olhos começam a embaçar, ficam vermelhos e sinto muito desconforto visual,..uso lubrificantes(systane)e uso também o restasis, mas até agora não apresentaram melhoras....no momento estou usando mais os óculos do que as lentes,mas tenho dificuldades em usar os óculos pois eles não me dão a visão perfeita que a lente de contato me dá.
gostaria de saber se há possibilidade de eu usar algum outro tipo de lente que seja específica para quem tem ceratocone e pra quem tem olho seco?

Luciano Bastos disse...

Sim anônimo,

Releia com atenção a postagem dessa página, o texto fala exatamente sobre isso. Lentes esclerais podem ajudar e muito de forma terapêutica no olho seco e mesmo em casos de pós-cirurgia ou ceratocone.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos

Rosane disse...

Olá! há + de 5 anos trato, sem sucesso, a sindrome do olho seco...
Li muito a respeito do plug, e gostaria de colocá-lo... onde eu poderia fazer este procedimento? (sou de Jundiaí/SP)

marcoabmont disse...

Olá Dr. Luciano.
Eu uso lentes de contado do tipo filtrante a 4 anos. Não enxergo nada do meu olho direito, a córnea é praticamente tomada por uma camada branca. Então, ultimamente sinto a lente sair do contorno da córnea ao piscar causando um grande desconforto, a sensação que tenho é de olho seco, que antes não tinha. A pergunta é: Se eu usar um desses colírios para criar lágrimas artificiais vai resolver o problema? Já que não sinto nenhum tipo de ardência no olho, somente o desconforto ao piscar e a lente subir junto com a pálpebra.

Elisa disse...

Tenho 24 anos e desde o ano passado venho apresentando sintomas de olho seco: muita dor, vermelhidão, coceira, acordo todas as noites entre 2-6 vezes, com a pálpebra colada no meu olho, preciso pingar colírio no canto do olho e esperar ele desgrudar para abrir, no momento estou usando lubrificantes (Hyabak e Systane), colírios normais (Moura Brasil e Lerin), além de muito soro fisiológico. Utilizo lente de contato gelatinosa, a sensação de quando estou com ela é mil vezes melhor do que sem ela. Porém em agosto desse ano a situação piorou, se eu uso a lente mais de 3 horas, minha visão fica embaçada de mais, o uso do óculos piora muito a secura dos olhos. No dia-a-dia, sem forçar os olhos, ou expor eles a situações ruins para o olho seco, consigo manter no máximo ele aberto por 10 horas e forçando ele, no máximo 5 horas. Dificilmente consigo enxergar as coisas no foco, mesmo afastando aproximando, nada... Desde o ano passado tomo 2g de óleo de linhaça, pois meu oftalmologista disse que iria melhorar; ele também disse que o que eu tenho não é síndrome do olho seco e muito menos teria sido causada pela lente de contato, acredito que ele não deu a devida importância aos sintomas, ou achou que eram leves (como vejo muito por aí: "é só passar um colírio que melhora"). Estou com duas consultas agendadas para os próximos meses (em outros médicos), mas enquanto isso, seria interessante se eu utilizasse alguns dos lubrificantes citados neste post, mesmo sem a indicação dos médicos? Me pergunto, se não é síndrome do olho seco o que tenho, o que poderia causar essa secura (estresse, má alimentação)? E será que a lente rígida seria bom para mim, já que, supostamente, não tenho a síndrome?

Luciano Bastos disse...

Olá Elisa,

Interessante o seu caso, imagino que para o oftalmologista ter afirmado que você não tem síndrome de olho seco, ele tenha feito os exames apropriados como:

- T-But (Tear Break-Up Time) ou tempo de quebra do filme lacrimal;

- Teste de Schirmer (com e sem anestésico)

- Teste de Rosa Bengala ou Teste de Lissamina Verde.

- Avaliação das pálpebras (verificar se tem blefarite)

- Glãndulas lacrimais

- Uso de medicamentos dermatológicos ou sistêmicos

- Rosácea

- Alimentação (procure acescentar ômega 3 e ôemga 6 n sua dieta)

- Uso excessivo de computador (não piscar adequadamente ou com a freqüência necessária.

Tem uma série de questões que precisam ser avaliadas, mas me parece que pode ser apenas o fato de você ter criado o que chamo intolerância ao uso de lentes gelatinosas, devido ao fato de elas não estarem proporcionando o equiílbrio fiosiológico corneano necessário, seja por falta de hidratação ou consequente falta de oxigenação adequadas. Isso ocorre em muitos pacientes usuários de lentes hidrofílicas gelatinosas, até com a descartáveis, as vezes ocorre depois de vários anos de uso com sucesso.

Lentes RGP's (rígidas gás permeáveis) corneanas ou lentes esclerais podem ser uma alternativa bem interessante, se for este o caso. Procure outras opiniões de diferentes especialistas caso o problema não seja resolvido de forma adequada.

O Hyabak 0.15% é um lubrificante moderno e bem interessante por não ter conservantes em sua formulação, de todos seria acredito que o mais seguro, no entanto somente utilize (sempre) somente as medicações, no caso colírios, recomendados e prescritos pelo seu oftalmologista, ok?

Espero ter ajudado.

Luciano Bastos
Em colaboração com o Blog C&T.

Aline disse...

Olá, gostei muito de tudo o que li...sabe, já fiz tudo isto, teste de Rosa Bengala, Teste de SChirmer, exames para descobrir se S. de SJogrën e descobri que tenho seco há 1 ano e meio. Utilizava Optive UD, Epitegel, com uma diéta balanceada, sempre com linhaça, omêgas 3 e 6, no começo tive uma melhora, mas de uns dois meses pra cá piorou e voltei a sentir uma secura absurda nos olhos, principalmente a noite...fui numa oftalmologista que nem examinou os meus olhos e passou o Endura e uma pomada chamada regencel, usei os dois, mas senti uma ardência terrível e suspendi o uso...estou desesperada, não conheço nenhum médico que seja especialista em olho seco, a não ser um medico que me atendeu maravilhosamente bem no inicio ( quando eu tinha um ótimo convenio pago pela empresa), agora estou desempregada e sem condições de pagar mais de 400$ por cada consulta, o que posso fazer? Onde buscar ajuda aqui em São Paulo-SP???

Luciano Bastos disse...

Olá Aline,

É provável que a adaptação de lentes esclerais no seu caso possa ser uma excelente opção quanto a questão do olho seco, proporcionando alívio imediato. As lentes esclerais são colocadas com um fluido sem conservantes que é colocado dentro da parte interna das mesmas, oferecendo a lubrificação adequada que a córnea precisa.

Em SP sugiro consultar com o Dr. César Lipener, ele poderá lhe ajudar.

Boa sorte,
Luciano Bastos

Anônimo disse...

Boa noite Dr.

Tenho 27 anos e sofro muito com olho seco, já usei vários colírios, uns 15, mesmo assim está muito difícil conviver com a doença. Estou disposto a fazer qualquer tipo de procedimento. O meu caso acredito que seja a diminuição da secreção lacrimal, pois apresentou Schirmer 1 de 3 a 5mm no olho esquerdo e 10mm no direito. Penso em fazer a oclusão dos dutos ou após saber da existência das lentes fazer a tentativa de usá-las. Tenho duas dúvidas:

- Pelo que vi ela não cobre muito a parte branca do olho, mesmo assim é eficiente?

- Onde posso coloca-las, e qual o custo médio.

obrigado!!

Tiagoqp@ibest.com.br

Anônimo disse...

Olá Aline,
meu caso é parecido com o teu. Eu estou usando um produto chamado Restasis, mas depois de 3 meses de uso ainda não vi resultados muito satisfatórios, como a propaganda do produto diz.
Você consultou um outro oftalmologista? Deu resultado?
Caso queira conversar Pode me enviar uma mensagem no meu mail marciobenito@msn.com

Obrigado

Juba disse...

Doutores, excelente explanação. Tenho sentido dificuldade em encontrar em São Paulo um especialista que dê a devida atenção à secura ocular, investigando as causas. Vocês indicariam alguém? Grata pela atenção

Anônimo disse...

Boa noite Dr.

Tenho 26 anos e meu problema muito parecido com o relato do Tiago, já fiz de tudo e estou disposto a usar as lentes esclerais, sou do Rio de Janeiro, onde devo procurar por esse tratamento aqui? De qualquer maneira, estou disposto ir até a clínica do senhor para conseguir as lentes! Elas realmente são eficientes para o olho seco severo?

Muito obrigado!

PS: Quem quizer conversar sobre o problema dos olhos secos, meu contato... herdy-@hotmail.com

Soraya Ravazi disse...

Olá,Dr. Luciano.

Descobri que tenho a Sindrome de Olho Seco exatamente a 1 ano e desde então, ja passei por 5 oftalmos, desde fevereiro uso Restasis(ten=m dias que parece que irrita mais os olhos), Hylo Gel e Comod (ja usei outros q nem lembro mais), tomo oleo de linhaça, omega 3 e um complexo de vitaminas bem amplo receitado pelo ultimo oftalmo, todos os exames necessários foram feitos, mas sinceramente, isso está atrapalhando e muito minha qualidade de vida, cheguei a colocar o plug lacrimal no olho direito (é o mais afetado, não cai uma lagrima sequer) mas não sei pq qdo procurei outro oftalmo ele não encontrou o plug(sei q foi colocado pq durante dias senti o canto do olho bastante irritado e vermelho, tanto q nao gostaria de colocar novamente) ,durante a noite acordo com a sensação de queimação muito forte nas duas vistas e agora não descuido, coloco colirio a noite tambem, vivo pesquisando noticias na internet e me animei com essas lentes, sera q pode ser indicada no meu caso? obrigada.

Soraya
11/07/2013

Soraya Ravazi disse...

Ola, Dr. Luciano!

Descobri em Julho/12 que tenho a Sindrome do Olho Seco e ai começou minha peregrinação por varios oftalmos, e o uso de varios colirios. Fiz todos os testes que você mencionou e foi cogitado pelo meu reumatologista Sindrome de Sjogreen, mas graças a Deus foi descartado.Desde Fevereiro/13 estou usando Restasis, mas nao vi melhora significatica, alias tem dias que não uso pq irrita mais. O incomodo maior é no olho direito (nao que eu queira chorar, mas, qdo acontece, não sai uma lagrima sequer)e o esquerdo está começando a dar sinais de queimação. Uso o Hylo Comod e o Gel que me adaptei bem, mas por dia acho que pingo mais de 10 gotas, e na madrugada acordo com o olho "pegando fogo" e tenho q pingar tambem. Tomo omega 3, oleo de linhaça e um complexo de vitaminas, coloquei o plug lacrimal no olho direito,mas depois de uma semana o oftlamo não encontrou, sinceramente foi até bom pq coçaca e ficou vermelho o canto do olho. Infelizmente, não estou vendo resultado, esporadicamente um dia ou outro passo melhor, mas está ficando dificil lidar com isso. Quando li sobre essas lentes me senti até aliviada por saber que pode ter uma medida paliativa.Moro em Descalvado/SP e onde devo procurar? Desde já agradeço.

Soraya

Luciano Bastos disse...

Olá a todos,

Primeiramente quero pedir-lhes desculpas por demorar eventualmente em responder. O trabalho do dia-a-dia muitas vezes deixa pouco tempo para dedicar ao blog como gostaria, mas vamos aos comentários.

___________________________________

Caro Tiago,

No IOSB as lentes esclerais indicadas para síndrome de olho seco levam em consideração a patologia causadora do olho seco e o seu grau de severidade. Alguns casos mais sérios são adaptados com lentes maiores, em torno de 19.0 a 23.0 mm. e estas recobrem uma boa extensão da esclera (porção branca dos olhos). Já nos casos mais leves diâmetros menores entre 17.5 a 18.5 mm podem ser utilizados.

As lentes esclerais que adaptamos no IOSB são chamadas Scleral Bastos (SB) e são fabricadas pela Ultralentes. Como foi eu que desenvolvi estas lentes com a prestigiosa colaboração da equipe Ultralentes, é natural que aqui em Porto Alegre tenhamos mais opções inclusive de personalização, no entanto aos poucos os mais experientes oftalmologistas no Brasil estão iniciando as adaptações com estas lentes SB da Ultralentes.

Se quiser me envie email para lbastos@pobox.com que eu verei onde tem um especialista que possa lhe ajudar.

Atenciosamente,
Luciano Bastos

Luciano Bastos disse...

Caro Márcio,

Os casos no IOSB tratados com a ciclosporina (Restasis) também não foram muito animadores, em parte pela falta de continuidade dos pacientes que mesmo informados da necessidade de utilizar a medicação em forma de colírio para que o efeito comece a aparecer, acham que não funciona e a medicação é cara.

A adaptação de lentes esclerais tem sido a escolha número um pela equipe de oftalmologiistas do IOSB, os sintomas e o alívio são imediatos e a adaptação é muito confortável para o paciente na maior parte dos casos.

Luciano Bastos

----------------------------------

Herdy,

No Rio tem alguns oftalmologistas adaptando nossas lentes esclerais, como:

-Clínica Pecego: Dr. Jose Guilherme Pecego e Dra. Teresa (Ipanema)

Dr. Brunno Dantas (Centro)

Dr. Ari de Souza Pena (Niterói)

Naturalmente que no IOSB é possível fazer uma personalização minunciosa quando existe alguma dificuldade maior como obstáculos junto a esclera, temos muitos pacientes do Rio de Janeiro aqui no IOSB em Porto Alegre.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
lbastos@pobox.com

Luciano Bastos disse...

Soraya,

Seu caso é justamente o que mais precisa da adaptação destas lentes esclerais. A qualidade de vida dos pacientes adaptados com elas muda imediatamente.

Tenho a convicção de que você conhece ou já sabe que muitas vezes passa por toda essa jornada na busca de soluções que possam resolver o caso. As lentes esclerais, mesmo sem que precise grau (paciente emétrope), beneficia-se com elas.

Estamos a disposição em Porto Alegre se for conveniente.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
lbastos@pobox.com

Anônimo disse...

Gentileza indicar clinica em Sao Paulo.
Grata,



Anônimo disse...

Tenho ceratocone em ambos os olhos, mais acentuado no OE, e olho seco, ambas patologias de caráter moderado. Já usei Restasis sem muito sucesso. Uso oleo de linhaça e omega3 diariamente. Passei a usar ha 2 semanas lentes esclerais e Hyabak. No entanto, apos o uso por mais de 5 horas seguidas sinto dor no centro da cornea do OE. Para facilitar a retirada das lentes pingo previamente Hyabak em ambos os olhos. Não obstante, imediatamente apos a retirada da lente do OE, o olho arde e sinto dores lancinantes. O olho também fica muito vermelho e sensível a luz por cerca de 1 a 2 horas. Parece não deixar ferimentos na cornea, pois apos algumas horas ou depois de dormir o olho fica normal e não mais sensível. O que fazer para não passar pela tormenta diaria decorrente da retirada da lente de meu OE? Obrigado.

Luciano Bastos disse...

Caro Anônimo,

Estes sintomas não são normais e se já ocorrem desde agora não espere piorar, a adaptação da lente talvez tenha que ser revista. É preciso que o seu oftalmologista reveja o caso para providenciar uma solução.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos

Allana disse...

Ola! Tenho miopia, comecei a usa lentes de contatos gelatinosa a três semanas, sinto Ardência, sensação de corpo estranho no olho, sensação de areia, vermelhidão, coceira leve apenas no OE, quando retiro a lente os sintomas persisti, só melhora após o uso do colírio lubrificante... a Síndrome do Olho Seco pode afeta apenas um olho ?


Luciano Bastos disse...

Allana,

Pode ser olho seco leve e unilateral, o seu oftalmologista deverá avaliar para saber exatamente a causa deste sintoma e determinar o melhor curso de ação.

Boa sorte,
Luciano Bastos

Claudio Norio disse...

Caro Dr. Luciano,
As lentes esclerais são indicadas para quem tem - além de olho seco - Meibomite? Ou seja, a presença de meibomite pode impedir a eficácia das lentes esclerais, já que há sempre a tendência em aparecer camadas/bolas de gordura a "flutuar" nos olhos, o que, normalmente, prejudica a visão/acuidade visual, já que tal gordura fica se movimentando no olho permanentemente?

Caso as lentes esclerais não sejam indicadas, qual seria a melhor opção para quem - como eu - tem os 2 males (olho seco e meibomite)?

Muito grato por sua atenção.
Claudio Norio

Luciano Bastos disse...

Prezado Claudio Norio,

Creio que as lentes esclerais tem uma excelente indicacao no seu caso pois as lentes esclerais permitem uma excelente lubrificacao da cornea atraves do fluido e ao mesmo tempo devem previnir a entrada de detritos pois como a adaptacao destas lentes eh considerada semi-selada, dificilmente ha a passagem de debris maiores por debaixo da porcao haptica (periferica) da lente que repousa sobre a esclera (porcao branca dos olhos).

Se voce quiser um especialista em lentes esclerais por favor entre em contato com o pessoal da Ultralentes no email do website que eles poderao ajuda-lo. O website eh www.ultralentes.com.br ou se preferir e houver disponibilidade estamos a disposicao no IOSB.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
Diretor & Instrutor Clinico de LC Especiais

Vanda Carvalho disse...

Dr.Luciano, uma cirurgia refrativa pode levar ao descolamento do vítreo posterior e ao olho seco? Digo uma cirurgia de lasik.

Luciano Bastos disse...

Olá Vanda Carvalho,

Existe de fato a possibilidade, especialmente quando há alguma patologia prévia a cirurgia refrativa. É importante que o oftalmologista faça todos os exames necessários para precaver qualquer possibilidade de complicações secundárias ao procedimento.

Consulte seu oftalmologista e se necessário tenha mais opiniões de diferentes especialistas para um diagnóstico preciso da situação atual.

Boa sorte,
Luciano Bastos

Marina Freire disse...

Boa tarde! Achei muito interesse o artigo. Eu tenho sentido muita ardência e desconforto com a lente de contato do olho esquerdo. Eu uso lentes rígidas. No final do ano passado estive no meu oftalmologista e falei tudo isso para ele, além de me queixar que tenho tido muita secreção nos dois olhos e mostrei para ele uma "bolinha" que tenho na pálpebra inferior do olho esquerdo que é o olho que tem me incomodado. Meu oftalmologista me deu uma amostra grátis do colírio Zymar. Eu voltei no retorno me queixando ainda de desconforto no olho esquerdo e da tal "bolinha"e ele disse para usar o com mais frequência o Optive. Eu tenho feito isso desde então mas o desconforto é muito grande. Como ultima tentativa eu pedi um par de lentes novas e enquanto aguardo elas chegarem não tenho usado a do olho esquerdo. Existe alguma outra coisa que eu consiga fazer para conseguir usar a lente do olho esquerdo sem tanto sofrimento?

Luciano Bastos disse...

Olá Marina Freire,

Pode ser calásio, uma pequena inflamação devido a alguma obstrução de uma das glândulas de melbomio neste caso junto a pálpebra inferior. Normalmente deve sumir de forma espontânea mas se não sumir ela pode aumentar e ficar mais visível. O seu oftalmologista deve verificar se há necessidade de indicar um tratamento. Uma dica é fazer uma higiene adequada das pálpebras lavando-as com sabonete anti-séptico e pequenas massagens junto as pálpebras durante a limpeza, evitar o uso de maquiagem ou então limpar profundamente após o uso...

Algumas pessoas tem uma tendência a formar uma secreção sebácea mais gordurosa e isso pode ser o motivo da obstrução.

Quanto a questão do desconforto em relação a suas lentes rígidas, é preciso investigar o quanto significativa é a qualidade e o volume do filme lacrimal, fora isso pode ser que o desenho das lentes possa não estar mais atendendo a sua necessidade. No IOSB temos muito pouco problemas nesse sentido e geralmente pode ser resolvido com a utilização combinada da colírios lubrificantes modernos com um tratamento coadjuvante e algumas mudanças no dia-a-dia durante o uso das lentes.

Espero ter ajudado.
Luciano Bastos

Emilene disse...

Tenho 37 anos e há 3 anos descobri que tenho síndrome de sjouger, desde então sofro muito com a secura nos olhos. Fico muito preocupada com a saúde da minha visão, nunca imaginei que uma glândula iria me fazer tanta falta. Tenho medo de perder a visão! Mas tenho fé em Deus que ainda serei curada e vou testemunhar aos quatro cantos deste mundo, pois para os homens esta doença é incurável. Faço um alerta as pessoas que tem os sintomas de olho seco, uma investigação aprofundada do estado de saúde, pois a síndrome de sjouger é pouco conhecida, uma doença auto-imune que ataca as gladulas lacrimais e salivares, as vezes acompanhada de dores nas articulações. Parabéns aos médicos deste blog pelos esclarecimentos! Q DEUS abençoe a todos!

Luciano Bastos disse...

Olá Emilene,

A síndrome de Srögren tem ótima indicação para a adaptação de lentes esclerais do tipo Full Scleral, ou seja, tem que ser preferencialmente uma lente especial pois a indicação fundamental é o tratamento terapêutico da secura ocular causada pela patologia. Naturalmente que se houver necessidade há também uma correção óptica do grau.

O IOSB é especializado neste tipo de adaptação, são lentes grandes que tem diâmetros entre 18.5 e 22.5 mm dependendo de cada caso e proporcionam um alívio imediato ao paciente e promovem a saúde fisiológica da superfície ocular em especial da córnea e do limbo.

Se você estiver interessada por favor entre em contato com o IOSB, recebemos pacientes de todo o Brasil e mesmo do exterior, oferecendo assistência na reserva de hoteís conveniados com o instituto (próximos) e direções.

Atenciosamente,

Luciano Bastos

Anônimo disse...

Usei lentes de contato durante 9 anos, tenho miopia em torno de 4 graus...mas faz 3 anos que não consigo mais usa-las..meus olhos ficam muito vermelhos...ja suspeitei que possa ter a sindrome seca , pois também tenho boca seca e as vezes rouquidao..ja fui em varios oftalmos da minha cidade na esperança de poder usar lentes de contato pelo menos para sair...ja pensei em fazer cirurgia refrativa, mas o medo de piorar os sintomas me fez desistir...meu olho seco foi considerado leve pelos medicos q visitei; eles ardem um pouco e ficam um pouco vermelhos se fico em ambiente com ar condiconado...encontrei o instituto pesquisando sobre o assunto...sou de teresina piaui..tenho esperança que meu caso possa ser solucionado ...danae

Luciano Bastos disse...

Olá Danae,

Possivelmente seu diagnóstico pode ter relação com alguma patologia de origem reumatológica, é interessante consultar com um reumatologista e fazer uma avaliação.

Em relação ao uso de lentes sim, as lentes esclerais tem ótima indicação nos casos de síndrome sicca (olhos secos) e pode lhe devolver o conforto, visão e especialmente melhorar a saúde fisiológica da superficie ocular afetada pela diminuição do filme lacrimal.

Temos pacientes de todo o país e até mesmo do exterior que nos procuram para adaptações especiais em diferentes situações. Se quiser planejar uma vinda ao IOSB nossa equipe lhe dará toda a assistência necessária. Para entrar em contato viste nosso website oficial.

www.iosb.com.br

Atenciosamente,

Luciano Bastos