EXCELÊNCIA EM REABILITAÇÃO VISUAL COM LENTES DE CONTATO ESPECIAIS

Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 3 de julho de 2016

Como Colocar e Retirar Lentes Esclerais

Uma das principais preocupações de quem começa a usar lentes esclerais ou vê pela primeira vez estas lentes é assustar-se com a questão da colocação dela nos olhos. Este vídeo apresenta uma série de pacientes do IOSB colocando e retirando as suas lentes esclerais de diversas maneiras. Não é um tutorial mas tem ajudado a muitos que estão começando a usar, está ajudando a difundir estas lentes que proporcionam enorme conforto e segurança, olhos calmos e saudáveis ao longo de todo o dia.


Vídeo: Como Colocar e Retirar Lentes Esclerais

Um vídeo, uma missão

O vídeo tornou-se uma missão e um dever a cumprir para ajudar aos novos pacientes de lentes esclerais e ao querido grupo de ceratocone do Facebook Ceratocone & Tratamentos (C&T). Graça a colaboração de queridos pacientes voluntários que permitiram o uso destas imagens em várias técnicas de colocação hoje o vídeo ajuda e encoraja novos pacientes. É uma questão de técnica e de paciência para aprender, com o tempo vem a maestria e o domínio de colocar e retirar as lentes de maneira mais natural e mais fácil.

A recomendação feita no vídeo é importante que seja devidamente compreendida. A limpeza destas lentes, as que foram fabricadas pela Ultralentes, podem e devem ser limpas após o uso utilizando shampoo J&J Neutro de Ph Balanceado (aquele amarelinho de bebê) e diluido na água pois ele é muito viscoso. Faz-se movimentos circulares de fricção para remover qualquer resíduo da lágrima ou mesmo da solução salina que é utilizada na lente de sua superfície. A lágrima possui mucina, alguns pacientes produzem mais e se não for corretamente limpa isso pode ao longo do tempo acumular depósitos muco-proteicos na superficie das lentes prejudicando a visão e até mesmo criar algum problema de conforto. 


A limpeza antes de colocar deve ser feita sempre utilizando também a solução multiuso recomendada pelo oftalmologista ou pela clínica e depois soro fisiológico. Lembrando que o soro fisiológico depois de aberto, dura (esterilidade) apenas 24 hs fora da geladeira então deve ser mantido refrigerado (geladeira) onde aí pode ser utilizado por 7 dias (uma semana) e não mais do que isso.


O IOSB iniciou, de forma absolutamente pioneira, ensaios de adaptações de lentes esclerais que já estavam sendo desenvolvidas pela Ultralentes em 2007, utilizando como comparativo algumas lentes esclerais importadas, Atualmente são cerca de três mil pacientes adaptados e a tecnologia teve uma evolução tecnológica muito importante. As lentes esclerais adaptadas no IOSB e pelos credenciados na Ultralentes que as usam possuem uma tecnologia de design insuperável, incomparável com qualquer outra lente. Basta um exame atento e mesmo ao manusear as lentes é possível perceber, comparadas a outras lentes mesmo importadas. A espessura da lente tem outro fator interessante, elas conseguem ser mais finas e com isso de maior oxigenação sem perderem a sua estabilidade, elas são firmes e mais finas do que demais desenhos de outras fabricações. Isso também ajuda a ter um menor volume da lente que já é grande e permite inclusive que sejam produzidas lentes ainda maiores que funcionam muito bem para tratamento terapêutico de síndrome de olho seco (síncrome sicca) e de sequelas de traumas ou cirurgias.


Indicações das Lentes Esclerais


A lente escleral pode ser utilizada basicamente para qualquer tipo de necessidade de correção visual, miopia, alta miopia, hipermetropia, astigmatismo, mesmo astigmatismos elevados e irregulares. Uma das patologias que o paciente mais pode beneficiar-se destas lentes é o ceratocone, dos iniciais aos mais avançados e extremos. Este é o paciente que mais se interessa e que se beneficia com as lentes esclerais, quando não temos um bom resultado com a lente Ultracone, Casos pós- implante de anel, pós- transplante de córnea, em casos pós-cirurgia da miopia (RK, PRK, Lasik) onde é necessária ainda correção visual também são muito bem indicados para as lentes esclerais SSB e SB que são as que utilizamos. (tem alguns vídeos mais técnicos sobre estas lentes no canal da Ultralentes do You Tube ).

Uma área ainda sub-utilizada das lentes esclerais é a síndrome de olho seco. A literatura, desde a mais antiga (1968 - 1972) já menciona a utilização terapêutica das lentes esclerais (só que antigamente elas não eram permeáveis ao oxigênio como agora). Os resultados são supreendentes e podem devolver aos pacientes uma melhor qualidade de vida, sem dores e sem ardência nos olhos, olhos calmos e saudáveis. Os casos mais indicados são os portadores da síndrome de Sjögren, síndrome de Steven Johnson e outros casos onde ocorra uma diminuição da lubrificação ocular.

Pacientes com pós-trauma que ficaram com cicatrizes na córnea pode beneficiar-se imensamente da utilização das lentes esclerais uma vez que elas não tocam a córnea. Em casos onde existam obstáculos na esclera a Ultralentes produzirá uma lente com a necessária e pontual modificação de maneira a comodar e sobrepor ou circundar o obstáculo, sem agredir a conjuntiva escleral.


Custo Vs, Benefício Lentes Esclerais

O custo ainda é um impeditivo grande para alguns pacientes. A adaptação de lentes esclerias pod custar ao paciente entre R 3.000,00 e R$ 5.000,00 (três e cinco mil reais) o par das lentes, dependendo da complexidade do caso, do desenho e do material empregado na fabricação. O IOSB inovou também nesta área incorporando um sistema para faciltar ao paciente a adaptação de suas lentes. Esta facilidade consiste em criar toda uma estrutura para que os pacientes de outros estados possam ter apoio logístico para sua vinda a Porto Alegre e também a facilitação do pagamento das lentes com pagamento em até 12 vezes no cartão de crédito, sem juros (prestações fixas). Isso permite que o paciente que tem seu orçamento apertado possa se planejar e assim ter acesso a adaptação de lentes especiais, sejam esclerais ou não, de forma absolutamente personalizada e em uma clínica especializada, referência internacional na reabilitação visual com o uso de lentes especiais, com 45 anos de experiência e tradição.

Maiores informações podem ser obtidas no link do IOSB .


Luciano Bastos
Diretor & Instrutor Clínico de LC

Dr. Marcelo Bittencourt
Diretor Clínico - Oftalmologista CRM/RS 9863

Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos

sábado, 3 de outubro de 2015

Ceratocone após LASIK

Figs.1: Corte do flap corneano

O diagnóstico correto é Ceratoectasia Iatrogênica Pós-Lasik. 

De fato é uma ectasia bastante similar ao ceratocone induzida posteriormente a no caso a cirurgia de miopia pela técnica do Lasik (Laser Assisted In Situ Keratomileusis). Nesta técnica o corte do flap para aplicação da fotoablação a laser corta também no processo inúmeras fibras de colágeno corneano, diminuindo assim substancialmente a resistência biomecânica da córnea. Alguns cirurgiões tem utilizado o prcedimento do "crosslinking" como forma de aumentar a resistência biomecânica da córnea logo após o precedimento do Lasik. Seria uma forma de assegurar resultados melhores em córneas com espessuras menores onde o risco da ceratoectasia é maior. Em alguns casos a cirurgia pela técnica do PRK não gera o problema.


O crosslinking é uma boa alternativa mas posteriomente a adaptação de lentes RGPs ou esclerais é uma alternativa bem mais saudável e que melhor reabilita a visão. Implante de anel pode ser sugerido, não acho uma boa ideia no entanto alguns pacientes podem ceder a tentação de ter seu problema resolvido sem necessidade de adaptar lentes. Dificilmente o implante de anel pode superar a qualidade de visão que lentes proporcionam, é melhr ter o máximo de informações antes de tomar uma decisão.

 Fig. 2: Aplicação do laser
A ectasia pós-Lasik pode ser tardia, temos casos no IOSB de pacientes que nos procuraram cerca de 8 a 10 anos depois da cirurgia, outros foram em menos tempo. Uma das carcterísticas da ectasia pós-lasik é que a mesma se encontra geralmente bem centralizada ou ligeiramente próxima ao eixo visual onde foi realizada a ablação e onde a córnea teve o maior compromentimento visual. Começa com um retorno da miopia e astigmatismo leve, se fizer procedimento posterior de retoque a situação piora ainda mais. 

Atualmente a incidência deste tipo de complicações tem diminuido graças a precaução maior (após muitos casos aparecerem) e dos exames mais precisos que são feitos para detectar possíveis contraindicações e riscos.

Os oftalmologistas cirurgiões contam hoje com exames mais sofisticados como o Pentacam (tomografia de segmento anterior), eles são bem mais precisos e completos para uma análise da córnea para identificar possíveis contraindicações ou riscos para uma cirurgia refrativa. Embora estes exames em especial o Pentacam que temos maior experiência proporcionem dados de paquimetria corneana (espessura da córnea) com bastante precisão a paquimetria ultrassônica ainda é considerada o padrão-ouro para paquimetria, devendo este exame ser a referência para esta medição.


O Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos não realiza cirurgias refrativas, nosso trabalho consiste na reabilitação visual daqueles pacientes que tem defeitos refrativos graves como altas ametropias ou córneas irregulares como ceratocone, ceratoectasia, pós-transplante de córnea, pós-implante de anel corneano e de adaptação de lentes especiais para tratamento terapêutico de pacientes com síndrome de olho seco. O IOSB é pioneiro na reabilitação visual com lentes especiais no Brasil e também pioneiro nas adaptações da moderna lente escleral no Brasil,Ao longo de décadas desenvolvemos inúmeras soluções em desenhos de lentes para diversas patologias da córnea, sejam lentes rígidas como a Ultracone (tipo Soper modificada) e as lentes esclerais SSB e SB. 


Fig.3: Lente escleral SB (Scleral Bastos) Full Scleral de 19.5mm
Cortesia Ultralentes

terça-feira, 23 de junho de 2015

ADAPTAÇÃO PROFISSIONAL DE LENTES ESCLERAIS

Pacientes que tiveram que abandonar o uso de lentes de contato gelatinosas e descartáveis por complicações, por síndrome de olho seco, por astigmatismo elevado, córneas irregulares são readaptados com lentes esclerais da Ultralentes com grande sucesso no IOSB.

Excelência, alta tecnologia e comprometimento com o conforto, a saúde e a visão dos pacientes.



Alta tecnologia - ULTRALENTES
Posted by IOSB - Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos on Terça, 23 de junho de 2015

domingo, 11 de janeiro de 2015

Ceratocone: Projeto Visão 20/15

Fig.1: Censo 2010 - IBGE
O ceratocone é uma patologia da córnea que afeta a visão de dezenas, centenas de milhares de pessoas no mundo. A bibliografia mais atual sugere que a patologia ocorre entre uma a cada 1500 a 2000 pessoas, se dentro desta estatística temos aproximadamente no Brasil 191 milhões de habitantes (segundo censo realizado pelo IBGE em 2010 - Fig.1) é possível existir cerca de 127 mil pessoas com ceratocone. Destes pacientes muitos tem grande dificuldade em obter um atendimento adequado, especialmente devido a falta de investimentos na saúde pública. Os pacientes que tem condições financeiras de tratar-se procuram via de regra especialistas através dos convênios médicos e atendimento particular. No entanto grande parte tem que recorrer ao Sistema Único de Saúde (SUS) através hospitais públicos ou filantrópicos para obter orientações e tratamento.


A disponibilidade de atendimento ao paciente com ceratocone

Mesmo que a população toda tivesse acesso a todos os oftalmologistas disponíveis no Brasil, e não são poucos (cerca de 16 mil oftalmologistas, segundo censo de oftalmologistas realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia - 2011)  a sub-especialidade para tratar pacientes com ceratocone é segmento anterior e uma sub-especialidade testa por suas vez é córnea. Apenas parte dos especialistas dedicam-se a estas áreas. Mesmo com os especialistas em córnea disponíveis, há grande parte que dedicam-se a áreas mais restritas, que poderiam ser chamadas sub-especialidades dentro da sub-especialidade da córnea, seja a cirurgia refrativa e tratamentos para ceratocone por exemplo. No caso do ceratocone que é o que interessa aqui, alguns profissionais tem uma orientação e interpretação por métodos não invasivos como a adaptação de lentes de contato especiais, outros dedicam-se a métodos minimamente invasivos tais como implante de anel intraestromal, crosslinking e outros métodos combinados. Uma observação que tenho feito é que não há realmente um consenso de qual o método para determinar o melhor tratamento embora exista uma linha de interpretação onde a baixa visão provocada pelo ceratocone deve ser primariamente com óculos sempre que possível, depois com lentes de contato ou métodos cirúrgicos. O transplante de córnea vem por último sempre como o último recurso a ser invocado por uma série de razões que vão desde a possibilidade do paciente enfrentar uma rejeição ao transplante e uma série de possíveis intercorrências que podem advir no tratamento desta rejeição. Outra possibilidade que pode ocorrer após o transplante e sua total cicatrização é a presença de astigmatismo irregular elevado devido a diferenças de força ocorridas durante o processo de cicatrização.   

O papel das lentes de contato especiais no ceratocone

Interessante e importante mencionar que atualmente com o desenvolvimento de lentes rígidas gás permeáveis (RGPs) especiais cada vez mais sofisticadas e com o advento das modernas lentes esclerais a opção de adaptação de lentes de contato no ceratocone é ainda mais importante pois é de todos os métodos para reabilitação visual do paciente a que proporciona os melhores resultados, isso é incontestável. Nesta área praticamente todos os casos onde é possível obter uma melhora da acuidade visual do paciente as lentes terão importante papel na reabilitação visual do paciente, então é indicado não somente para o ceratocone sozinho mas para a condição de pós-implante de anel, pós-crosslinking e até mesmo pós-transplante de córnea. A adaptação de lentes pós-implante de anel e pós-transplante é via de regra mais complexa e difícil que o ceratocone, naturalmente depende de cada caso. No entanto a possibilidade atualmente de adaptação de lentes esclerais (figura 2) que sobrepõe a córnea e o limbo e se apoiam na esclera (porção branca dos olhos) tem facilitado muito este tipo de dificuldade. Esta lente é inserida nos olhos do paciente com um fluido sem conservantes que promove um ecossistema saudável para a córnea e promove a sua saúde, desde que corretamente adaptada. 
Fig.2: Lente SCLERAL BASTOS (cortesia IOSB)

O outro problema decorrente da falta de opções para os pacientes que precisam do SUS ou de opções mais em conta para sua reabilitação visual é que nem todos os especialistas tem a mesma experiência, alguns inclusive não dedicam o tempo e o estudo necessários para esta área por diversos motivos, por achar que já sabem o suficiente ou tudo, por não interessar a eles aprofundar o tema e também por não ser sua área de interesse e foco. No entanto existem vários hospitais públicos e bancos de olhos que possuem ambulatórios de adaptação de lentes de contato que prestam este serviço. É importante também louvar a medicina e em especial a oftalmologia brasileira que mesmo com a falta de investimentos na saúde pública luta como pode para proporcionar um atendimento digno e de qualidade, dentro do possível, para o maior número de pessoas. Como mostra o censo oftalmológico realizado pelo CBO em 2011 o Brasil tem oftalmologistas de sobra para o atendimento de toda a população, falta no entanto condições de criar um projeto público que dê segurança e condições para possa ocorrer uma descentralização dos médicos que estão em sua maior parte nos grandes centros urbanos. Isso ocorre justamente pela falta de investimentos e de garantias para que os médicos possam exercer as suas atividades com segurança no interior. Hospitais e postos de saúde equipados e um plano de carreira com salários dignos a profissão seriam fundamentais para uma mudança que melhor atenderia o povo brasileiro.

Um pequeno gesto para ajudar a alguns

O Instituto de de Olhos Dr.Saul Bastos tem uma proposta para ajudar ao menos a alguns pacientes este ano a ter a sua reabilitação visual sem qualquer custo. A ideia começou ser estudada em 2014 e deve ser implementada ainda neste primeiro bimestre com as orientações de como proceder. A proposta é escolher um caso a cada dois meses para receber atendimento e adaptação de lentes pela equipe do IOSB sem nenhum custo absolutamente. Os casos que os candidatos preencherem os requisitos serão analisados e a escolha será de um paciente de qualquer localização no Brasil que receberá o atendimento, exames e adaptação de lentes sem qualquer custo envolvido. O candidato deverá preencher um formulário e enviar para o IOSB juntamente com algumas informações iniciais sobre o caso, como um histórico, exames prévios se houver e comprovante de atendimento por hospital público. 

Os critérios para a escolha dos candidatos a receber o benefício serão definidos pela equipe do IOSB e a Ultralentes fará a doação das lentes para a adaptação. Os candidatos de outras localidades terão despesas apenas com o deslocamento e acomodações. A ideia inicial era de termos um apoio de outras empresas para o projeto mas isso ainda encontra-se em estudo. Neste caso poderia tentar-se alguma ajuda de custo com estas despesas (passagens/acomodação).

Em breve, este projeto que teve início com a possibilidade de criar a Fundação Saul Bastos para a Reabilitação Visual, será divulgado aqui neste blog e nas redes sociais. Um pequeno gesto para que ao menos algumas pessoas possam também ter a chance de melhorar a sua visão, com uma melhoria na qualidade de vida e da sua dignidade como ser humano e cidadão.


Luciano Bastos
Diretor & Instrutor Clínico de LC Especiais
Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos  

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Lentes Esclerais em Porto Alegre

As lentes esclerais foram reintroduzidas nos EUA e na Inglaterra há cerca de 10 anos quando os fabricantes de matéria-prima para lentes rígidas passaram a dispor aos fabricantes de lentes blocos de lentes rígidas gás permeáveis de diâmetros grandes. As modernas lentes esclerais diferenciam-se basicamente das antigas lentes esclerais de décadas atrás por serem feitas em material permeável ao oxigênio, proporcionando um maior tempo de uso aos pacientes.

Fig.1: Lente Escleral SSB adaptada. Cortesia IOSB

A indicação das lentes esclerais é excelente para pacientes com ceratocone, pós-implante de anel intra-corneano, pós-transplante de córnea e pós-cirurgia refrativa (especialmente a técnica antiga por bisturi ou chamada de RK ou ceratotomia radial refrativa). A grande vantagem das lentes esclerais sobre todas as demais lentes é o grande conforto, a excelente qualidade de visão e especialmente por proporcionarem um ecossistema saudável entre a lente e a superfície ocular, protegendo a córnea e agindo inclusive de forma terapêutica quando o paciente possui algumas doenças da superfície ocular, como síndrome de olho seco.

No entanto, pacientes com miopia e astigmatismo alto o suficiente para que as lentes gelatinosas tóricas não funcionem e que tenham dificuldade em adaptar lentes rígidas corneanas, podem beneficiar-se muito com estas lentes. Apesar de mais caras que as lentes gelatinosas e descartáveis e das lentes rígidas, as lentes esclerais proporcionam uma excelente acuidade visual, enorme conforto e protegem a superfície ocular de vento, poeira, ciscos e fumaça. 

Apesar de inicialmente o tamanho da lente intimidar o paciente, o conforto extremo que ela proporciona e a ótima qualidade de visão impressiona e motiva a todos que a experimentam. A lente escleral permite corrigir qualquer grau e astigmatismos elevados em qualquer eixo. Pequenos astigmatismos residuais da porção posterior da córnea são toleráveis

Outro fator positivo das lentes esclerais é a sua durabilidade. As lentes, bem cuidadas, chegam a durar mais de três anos, sendo esta a média de durabilidade das lentes Scleral Bastos desenvolvidas pioneiramente pela Ultralentes e testadas também pioneiramente no IOSB, por volta de 2007-2008, Atualmente a Ultralentes possui três desenhos de lentes esclerais do tipo FULL SCLERAL (SB, de diâmetros entre 18.0 mm e 21.5mm) e dois desenhos de lentes esclerais da classe semi-esclerais (SSB, de diâmetros entre 16.5 a 17.5 mm.).

O fato de estas lentes corrigirem astigmatismos corneanos mesmo elevados abre uma excelente oportunidade para pacientes que desejam adaptar lentes mas que não podem usar, especialmente pelo fato de as lentes gelatinosas e descartáveis não corrigirem o seu astigmatismo e de não terem se adaptado com lentes rígidas [gás permeáveis] que também é uma excelente opção e que tem grande sucesso no IOSB.


Para testar as lentes esclerais ou mesmo lentes rígidas de alta tecnologia sem compromisso, basta marcar uma consulta no IOSB e ver quais as melhores alternativas dependendo da necessidade e do interesse do paciente. O IOSB atende particular e os convênios UNIMED, IPE, Saúde Bradesco, Golden Cross e Petrobras. É importante que o paciente vá para a consulta consciente de que testes de lentes especiais, particularmente com lentes esclerais, demandam algumas horas para uma correta avaliação e determinar o desenho ideal, portanto ir com tempo. 

O paciente que decide fazer a adaptação de lentes esclerais poderá financiar a adaptação de suas lentes de forma parcelada em até 12 vezes sem juros ou com desconto à vista. Procuramos viabilizar a adaptação das melhores lentes disponíveis a todos os pacientes que nos procuram. As lentes ficam prontas em torno de 4 a 5 dias úteis. 


Para aqueles interessados, entrar em contato conforme as opções abaixo:

IOSB - Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos
Rua Dr. Flores, 323 - 1° andar - Centro Histórico
Porto Alegre, RS - 90020-123
Telefones: (51) 3226 0746 - (51) 3226 2794
E-mail: iosb@iosb.com.br

Website: www.iosb.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/IOSB2020



domingo, 31 de agosto de 2014

ATENDIMENTO PARTICULAR E CONVÊNIOS

Olá a todos os pacientes do Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos (IOSB) e a todos que planejam futuramente vir consultar com nossa equipe.

Temos boas notícias sobre consultas, exames e testes/revisões de adaptação de lentes especiais. Cientes da crise que nosso país se encontra resolvemos reativar alguns dos convênios existentes até 2012 e outros que estamos implementando. No decorrer deste mês de Setembro de 2014 muitos deles já deverão estar disponíveis.

Convênios em reativação a partir de Setembro de 2014.

Caso o seu plano de saúde ainda não esteja ativado durante a marcação de sua consulta, teremos a cortesia de aplicar um desconto de 50% do valor da consulta particular. 
Pacientes de todo o país procuram mensalmente o IOSB para a reabilitação visual com o uso de lentes de contato especiais. Nossa clínica tem um histórico de sucesso há mais de 40 anos quando o Dr. Saul Bastos iniciou de forma pioneira a adaptação médica de lentes de contato especiais no Brasil.


Ao longo dos anos a clínica tornou-se referência na adaptação de lentes especiais em casos de ceratocone do inicial ao mais avançado, ceratocone após implante de anel, ceratocone após crosslinking, ceratocone em crianças e adultos. Outras especialidades incluem adaptação de lentes em casos de tranplante de córnea, degeneração marginal pelúcida, ceratoglobo, síndrome de olho seco, sequelas de cirurgia refrativa, pós-trauma, alta miopia (mesmo as mais elevadas), astigmatismos elevados, hipermetropia, afacia e presbiopia (lentes RGPs multifocais).

Os pacientes de fora de Porto Alegre e de fora do estado do Rio Grande do Sul contam com hotéis próximos conveniados com o instituto no qual recebem descontos em sua estadia. Basta entrar em contato com o IOSB pelos telefones (51) 3226 0746 ou (51) 3226 2794 ou pelo e-mail iosb@iosb.com.br para maiores informações sobre a marcação de consultas, datas e hospedagem. 

Sugerimos aos pacientes que vem de longe procurar por descontos promocionais de passagens aéreas na empresa Decolar.com

Para maiores informações sobre o Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos 
visite a página oficial www.iosb.com.br.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

O Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos - De 1970 a 2014

A base de pacientes do IOSB tem sido ao longo da história de pessoas usuárias de lentes de contato, desde os casos mais simples de miopia, hipermetropia e astigmatismo, como a alta miopia, astigmatismos elevados e naturalmente pacientes com ceratocone desde os iniciais aos mais avançados e extremos. São 44 anos dedicados a reabilitação visual com lentes especiais.

Fig.1. Simulação Topografia 3D Ceratocone
Naturalmente que também existem muitos pacientes de transplante de córnea que necessitam de correção visual e as lentes de contato especiais, sejam rígidas ou esclerais, proporcionam uma excelente adaptação e recuperação da acuidade visual. Outras patologias que afetam a visão também são tratadas com lentes de contato como a Degeneração Marginal Pelúcida, Ceratoglobo, Ectasias corneanas pós-cirúrgicas e sequelas de cirurgias refrativas.

A fina arte da adaptação de lentes especiais em córneas irregulares, considerados os mais difíceis e complexos, é a especialidade do IOSB. Atualmente casos com indicação cirúrgica são encaminhados a colegas especialistas de Porto Alegre, do interior do RS ou de outros estados quando é o caso. Felizmente no IOSB o percentual de casos indicado a transplante de córnea é bastante baixo, dado o sucesso obtido em adaptações de grande complexidade. Uma das razões para isso é que cada caso é avaliado meticulosamente para que a adaptação tenha um alto nível de personalização, onde as lentes são planejadas de acordo com cada caso. Os testes de lentes somente são um indicador para que possa ser estabelecidas as alterações e aprimoramentos necessários para uma adaptação com conforto, segurança e a máxima acuidade visual possível de se obter.

Fig.2. Ventosa LC Rígida DMV Ultra
É uma grande alegria observar pacientes que consultavam com o Dr. Saul Bastos desde a década de 70 em diante e que mesmo 10 anos após o seu falecimento permanecem ainda no IOSB, tendo seus casos resolvidos com lentes cada vez melhores. Semanalmente visitam o IOSB pacientes que tiveram a sua primeira consulta na década de 70, alguns gostam de mencionar que foram dos primeiros pacientes e que usam lentes há mais de 40 anos. O mais interessante é ver pacientes com ceratocone usando lentes de contato especiais há mais de 30 e de 40 anos com a córnea saudável, sem cicatrizes. 

De 2004 para 2014 houve um grande desenvolvimento de novos desenhos especiais de lentes  no IOSB e que são fabricadas pela Ultralentes. O Dr. Saul com certeza teria muito orgulho ao saber dos resultados que seguem cada vez melhores nas adaptações mais complexas. Novos desenhos de lentes, novos materiais, entrega de lentes rígidas em 24/48 hs, e de lentes esclerais de 3 a 5 dias.

Fig.3. Lente Escleral SB Scleral Bastos. Cortesia Ultralentes.

Durante este mês de Copa do Mundo e dos protestos que temos observado esperávamos uma baixa na marcação de consultas, interessante que este fenômeno não se concretizou e as consultas continuam sendo feitas, algumas transferência de horários mas nada mais que isso. Embora nossas secretárias estejam empenhando-se em organizar os horários que também estão um pouco reduzidos nesta fase da Copa do Mundo é interessante que os pacientes procurem organizar a sua consulta no IOSB com alguma antecedência, salvos casos urgentes naturalmente. Os contatos são feitos por telefone, Skype, email ou pelo formulário de contato. Para aqueles pacientes de outros estados elas poderão auxiliá-los na indicação de hotéis próximos com convênio em sua vinda a Porto Alegre além de orientar em caso de necessidade.

Um fato comum no Instituto de Olhos Dr. Saul Bastos é seus pacientes ficarem muitas vezes três, quatro e até mais anos usando as mesmas lentes e sem vir para a revisão que é sempre recomendada ao menos entre cada 12-18 meses. Estes pacientes estão bem até que por uma questão de tempo, de anos de uso, as lentes estão gastas, com depósitos muco-proteicos da lágrima, riscadas, etc. ou então quebram e eles precisam de uma reposição urgente. O ideal sempre é a manutenção preventiva, é a melhor maneira de assegurar que os seus olhos estarão seguros e a sua visão estará sempre na melhor condição. A revisão de manutenção corretiva ou na urgência para ter uma reposição, ou no caso da lente estar inadequada para a condição atual é um pequeno complicador para resolver o problema de forma adequada e rápida. O ideal é que o paciente que não consulta há alguns anos fique sem lentes por dois a três dias para que o seu caso possa ser reavaliado e ver se pode seguir com as mesmas lentes ou com novas idênticas as anteriores.

Alguns pacientes simplesmente não conseguem ou não podem ficar sem as lentes, atualmente temos uma técnica para resolver este tipo de situação mas é fundamental que o paciente compreenda que é imprescindível as revisões de 10, 30 e de 90 dias especialmente para novos pacientes ou então para aqueles que foi necessária a alteração dos parâmetros das lentes. De toda a forma, todos recebem a máxima atenção e cada caso é avaliado de forma a se determinar qual o melhor curso a seguir, tendo sempre em primeiro lugar a segurança e da manutenção da saúde fisiológica corneana do paciente.

Quero agradecer a todos os pacientes que confiam em nosso trabalho, dedicação e espero na atenção para com cada um que nos procura, agradecer também aos fornecedores dos laboratórios que tem importante papel na divulgação de novos produtos e nos produtos indicados para a limpeza e assepsia de lentes de contato e de medicamentos para uso oftalmológico. Agradecer aos oftalmologistas amigos que encaminham casos de alta complexidade, seja de Porto Alegre, do interior do estado ou de outros estados. A sua confiança em nosso trabalho é muito importante para que estes pacientes recebam as melhores opções de reabilitação visual com o uso de lentes de contato especiais de alta qualidade e tecnologia e tenham seus casos resolvidos. Agradeço a equipe médica e de apoio do IOSB e da equipe da Ultralentes que trabalham de forma incansável para atingir os objetivos que atingimos todos os meses. 

Fig.4. Brasil de olho na Copa e nas Eleições 2014
Em um ano conturbado de Copa do Mundo e de eleições em poucos meses, desejo a todos um futuro melhor. Precisamos de mudanças e estas tem que ser para melhor. O descaso com a saúde e com a educação não pode continuar, essa campanha de desvalorização do médico tem que acabar, o país precisa de infra-estrutura, precisa de jovens informados e preparados para ingressar no mercado de trabalho, precisa de gente honesta e com bons princípios. Precisamos de muitas coisas, isso não ocorre de um dia para o outro, mas o caminho é a mudança e para isso é que temos uma oportunidade importante após a a Copa do Mundo, que são as eleições. Valorize o seu voto, pesquise e se informe antes de votar.

Grande abraço a todos os amigos, pacientes e colaboradores. 

Em nome de toda a equipe IOSB


Diretor & Instrutor Clínico de LC IOSB